Posicionamento

Vamos iniciar o segundo artigo, Posicionamento, de nossa série com uma simples pergunta: o que você faz?

Esperamos que você saiba a resposta para essa pergunta, mas se ainda não sabe, não tem problema, nós podemos ajudá-lo a descobrir! A arte do posicionamento é baseada nessa pequena pergunta, que tem o poder de mudar todo o panorama de seu negócio.

É a partir do conhecimento sobre o que a sua organização faz que você será capaz de estabelecer precisamente como ela se distingue da massa de concorrentes.

Mais do que ter a resposta disso para você, é preciso que você consiga passar a mensagem para o mercado. Vamos ver como você pode fazer isso!

 

Crie Seu Nicho

 

Posicionamento 2.1

 

Sabe aquela vendinha da esquina que vende comidas, produtos de beleza, artigos de papelaria e roupas? Geralmente, ela não dura mais do que alguns meses, até que surja outra vendendo artigos tão aleatórios quando até que, mais alguns meses depois, tem o mesmo fim.

A lógica utilizada por esses negócios é a de que quanto maior for a diversidade de produtos oferecidos, maior as chances de algum cliente precisar de seus serviços.

Porém, a lógica do cliente é outra: quando precisar de comida, irá a um restaurante e, quando precisar de um perfume, irá a uma loja especializada em perfumaria.

Portanto, não caia no erro de tentar abraçar o mercado todo de uma só vez. Comece com um produto pontual, focado em um público específico.

Depois de fazer sucesso com esse produto, passe para o próximo. Com o passar do tempo você, naturalmente, expandirá os seus mercados.

 

Não Ceda Quando Tratar-se do Seu Nome

 

Posicionamento 2.2

 

Alguns empresários adoram criar um nome único para o seu negócio, enquanto outros enfrentam muitas dificuldades no processo.

Para ambos os casos, Kawasaki destaca algumas dicas pontuais para escolher o nome ideal:

  • Tenha uma inicial que esteja entre as primeiras letras do alfabeto. Algum dia, a sua empresa estará em uma extensa lista alfabética e, certamente, você será mais visto estando entre os primeiros resultados.
  • Evite números. São ruins para nomes de empresas porque as pessoas não sabem se devem usar numerais ou escrever os números por extenso.
  • Escolha um nome com “potencial verbal”. Googlar e xerocar são dois verbos muito utilizados pelas pessoas e se referem ao nome das empresas responsáveis. Pense se o nome da sua empresa também poderia ser transformado em verbo, pois isso indica que é uma palavra facilmente inserível no cotidiano.
  • Soe diferente. O nome deve soar diferente de qualquer outro, caso contrário você pode ser facilmente confundido com outro negócio.
  • Faça sentido. Procure nomes relacionados à sua atividade que façam sentido para o público.
  • Evite modismos. Optar por um nome com termos que estão na moda pode surtir efeito no momento, mas depois de alguns anos poderá adquirir uma conotação negativa.

 

Torne o seu Negócio Pessoal

 

Posicionamento 2.3

 

Você ficaria mais interessado se um negócio dissesse ser capaz de ajudar a salvar milhares de animais ao redor do mundo ou se pudesse ajudar a salvar Rex, o seu cachorro que está há 15 anos na família?

Tornar o que você oferece pessoal, na grande maioria das vezes, é capaz de criar mais empatia com o público.

Isso acontece porque, dessa forma, o cliente não precisará imaginar como o seu produto ou serviço atenderá as suas necessidades, afinal, você já estará fazendo isso.

 

Fale “Nossa Língua”

 

Posicionamento 2.4

 

Não importa qual é o seu público alvo e nem o que você está vendendo, lembre-se de sempre utilizar um vocabulário simples para definir o seu produto ou serviço.

Ao tentar ser técnico demais você estará afastando potenciais clientes, que não têm tanto domínio sobre o assunto.

Além disso, evite usar termos genéricos que a maioria das outras empresas já utilizam, como por exemplo “um produto rápido e seguro”.

Isso soará muito subjetivo para o público, que estará mais inclinado a comprar “um produto com o processamento cinco vezes maior que os demais e que nunca invadido”.

 

Deixe-se Levar Pela Maré

 

Posicionamento 2.5

 

Embora agora você tenha todas as ferramentas para se posicionar no mercado, não fique muito apegado ao seu posicionamento inicial.

Muitas vezes você não conseguirá controlar o mercado e suas variações, e isso não é necessariamente uma coisa ruim.

Você pode, por exemplo, estar pretendendo comercializar um computador com foco na edição de imagens e vídeos, mas acabar fazendo sucesso com os gamers, que o utilizam para jogar jogos online em alta performance.

Nesse caso, o que você deve fazer é se ajustar ao mercado e tirar o melhor da situação.

Chegamos ao fim de mais um artigo de nossa série. A arte de se posicionar no mercado é essencial para o desenvolvimento de seu negócio, e agora você já pode começar a planejar como isso será feito.

 

Gostou das dicas apresentadas? Continue a sua jornada aprendendo um pouco sobre A Arte de Apresentar Ideias!

 

COMPARTILHE 🙂